Pressão, cautela e controle

Finalmente um jogo entre brasileiros e argentinos em que a tal catimba foi pouco mencionada. Se você não sabe, catimba é o nome dado para atitudes “pouco desportivas” que acontecem em todo lugar, mas mesmo assim caem como uma luva ao justificar derrotas para os hermanos. Vai entender.

Entretanto, é bom ver que o jogo ficou no campo. E que campo, La Bombonera.

De um lado, o Boca Juniors. Por trezentas vezes, os anfitriões fizeram interessante jogada na lateral: uma triangulação rápida que terminava com o último elemento na linha de fundo com a posse da bola. Eficiente, a tabela foi poucas vezes interceptada por corinthianos.

Na hora de finalizar, pouca ousadia. Uma bicicleta de Santiago, um chute de Mouche nas mãos de Cássio e o gol de Roncaglia após rebote dentro da área.

Do outro lado, o Corinthians jogou como de costume, acreditando na forte defesa, que é mesmo muito forte. Leandro Castán e Paulinho fizeram grande partida.

Mas, por cerca de vinte minutos do segundo tempo o Boca Juniors dominou as ações dentro do campo corinthiano e a equipe alvinegra pareceu perdida, sem repertório para sair de lá.  Boca martelou até que saiu o gol.

Romarinho entrou no final, e em seu primeiro toque na bola empatou. Um achado de atacante. Um achado de gol.

Enquanto os mais otimistas dizem gol do título, aqueles mais cautelosos chamam apenas de gol importante.

Devido às circustâncias do jogo, o empate foi um resultado gigante para os brasileiros. Mas se quiserem evitar a decisão por pênaltis, precisarão de algo mais. De repertório.

Siga também no Twitter: www.twitter.com/juniorlourenco

Advertisements

Eurocopa 2012 – Quartas de final

Sim, o Blog É Pênalti errou ao palpitar sobre as quartas de final da Eurocopa 2012. Mas alguém achava que a Rússia seria eliminada?

Mesmo errando, isso não impede novos palpites do blogueiro. Mas para não ficar apenas no “achismo”, você confere aqui alguns pitacos sobre os confrontos.

Quinta – 20/06
República Tcheca x Portugal

Goleados pela Rússia na primeira rodada, parecia que o torneio seria curto para os tchecos. Após derrotas os gregos, seguraram a anfitriã Polônia na última rodada ao vencer por 1 a 0. Podem fazer jogo duro contra os portugueses.

Portugal demonstrou futebol acima das expectativas de quem se classificou apenas na repescagem. Os lusos venderam caro a derrota para a Alemanha, antes de sofrer e vencer a Dinamarca (sim, o jogo dos gols perdidos por Cristiano Ronaldo). Na última rodada, grande atuação contra os ex-favoritos holandeses, com dois gols de Ronaldo.

Palpite: jogo equilibrado. Portugal avança.

Sexta – 21/06
Alemanha x Grécia

A única seleção que venceu seus três jogos já era favorita antes mesmo do torneio começar. Essa talentosa geração alemã precisa levar um troféu para não ficar no que “poderia ter sido”.

Os gregos perderam um pênalti contra a Polônia e tomaram gols relâmpagos na derrota para os tchecos. Da cartola conseguiram vencer a favorita da chave, Rússia, na última rodada e estão nas quartas.

Palpite: a limitada Grécia enfrenta a melhor campanha da primeira fase. O palpite é Alemanha, mas dá uma vontade de torcer pra surpresa…

Sábado – 22/06
Espanha x França

Quando a primeira fase do grupo C estava chegando ao fim, o goleiro espanhol Casillas fez grande defesa na cabeçada de Raktic. Até ali, Croácia e Espanha empatavam sem gols, e um gol croata eliminaria os atuais campeões. No fim, os espanhóis marcaram e passaram em primeiro. Mesmo assim, sinal de alerta ligado.

Os franceses chegaram com panca, mas não convenceram. No terceiro jogo perderam para a já eliminada Suécia. Resultado: uma vitória, um empate e uma derrota.

Palpite: nenhuma das equipes jogou tanta bola assim, mas os espanhóis são mais talentosos e experientes. Passa a Espanha.

Domingo – 23/06
Inglaterra x Itália

Técnico novo há poucas semanas da competição, geração desacreditada e adversários complicados. Não era absurdo acreditar que talvez os ingleses nem se classificassem à segunda fase. Logo, terminar na liderança da chave foi excelente. E Rooney voltou da suspensão com estilo, marcando seu gol.

A Itália demonstrou futebol interessante, confiando no organizador Pirlo. Mas outros jogadores de destaque precisam de regularidade.

Palpite: difícil, bem difícil. Acho que passa Itália (ou Inglaterra, diria o outro). Mas já que é para arriscar, Itália, nos pênaltis.

Concorda? Discorda? Prefere o Brasileirão?

Deixe aqui seu comentário e acompanhe também no Twitter: http://www.twitter.com/juniorlourenco

Pitacos – Eurocopa

Grupo A

Polônia evitou o resultado desastroso que seria a derrota para a Grécia e deve decidir o segundo lugar com a República Tcheca.

Considerando é claro, que a Rússia não tenha problema com os gregos e apresente o bom futebol que mostrou até aqui. O russo Dzagoev já marcou três vezes.

Grupo B

Alemanha é até aqui a única equipe com duas vitórias na Eurocopa, mas ainda não se classificou.

A última rodada terá um decisivo Portugal e Holanda.

Grupo C

Italianos fizeram bom jogo no empate com a Espanha. Mas, empataram novamente com a Croácia. Espanha quase lá precisa apenas de empate contra croatas.

No fim das contas, é provável que a Itália também se classifique, pois pega a fraca Irlanda, já eliminada.

Grupo D

Equilíbrio. A segunda rodada de amanhã está imprevisível. Ucranianos empolgados, ingleses desacreditados, franceses devendo e suecos em situação difícil.

No momento, só a Ucrânia venceu, quem diria.

Siga no Twitter: http://www.twitter.com/juniorlourenco

Brasileirão 2012

Às moscas começou o Brasileirão 2012. Quase à paisana, uma vez que a data de início coincide com as fases finais de Copa do Brasil e Libertadores.

No Brasileirão, além de bons jogos, alguns clichês vem à tona. Provavelmente, esse ano você ouvirá e lerá o seguinte:

Que a equipe campeã precisa ter elenco e planejamento.

Que até o final do primeiro turno, alguns técnicos já estarão demitidos.

Que as escalações entre primeira e vigésima rodada podem mudar bastante.

Que existem doze favoritos. Nota: não, não existem. Pra começar, é quase impossível ter tantas equipes brigando pelo título. O que existe é uma imprevisibilidade no começo, onde uma boa campanha no ano passado, não significa a repetição na nova edição. Também há, claro, equipes que se acham favoritas com jogadores que dizem à torcida: “vamos brigar pelo título”, mas acabam ficando na sul-americana.

Que dirigente reclama do calendário e de não poder usar seu estádio, mesmo tendo ele participado de algumas dessas decisões.

Que a arbitragem é fraca.

Que há camisas com vinte patrocinadores.

Mesmo assim, o Brasileirão é legal. Uma pena ser mal promovido, e que algumas discussões em torno dele podem ser repetitivas.

E pra você, o que poderia melhorar?