Texto no Trivela.com – marketing esportivo – sites de clubes: por quê e para quem?

Texto originalmente publicado em: http://trivela.uol.com.br/especial/marketing/sites-por-que-e-para-quem

Pense na seguinte situação: há um rumor daqueles indicando que seu clube contratará o principal jogador de um rival. Informações daqui, desmentidos dali e de repente você não sabe quem está com a razão. Sua próxima fonte de consulta seria o site oficial da equipe? Pouco provável. É natural que “oficialmente”, a assessoria do clube se afaste de desnecessárias polêmicas ou de especulações.

Esse é apenas um entre tantos exemplos de como o interesse nos sites oficiais dos times de futebol fica comprometido. Com tantos outros veículos que não precisam – nem devem – se importar com a tranquilidade nos bastidores das equipes, os torcedores têm poucos motivos para visitar os sites. A coluna visitou páginas de alguns dos principais clubes brasileiros e faz uma breve análise (afinal, o objetivo não é realizar um intenso estudo), além de eventuais sugestões.

Conteúdo de bastidores

Uma vez que a imprensa atenderá a demanda do torcedor por notícias polêmicas, como um site oficial pode ganhar audiência? Oferecer aquilo que a imprensa não tem acesso é uma boa saída. Sem mega produções, é possível mostrar imagens pré e pós jogos, links ao vivo da concentração, da equipe indo até o estádio para a próxima partida, no centro de treinamento ou entrevistas mais longas para que o jogador não precise responder apenas sobre os “três pontos”.

Invariavelmente essas imagens aparecem em documentários. Quando o clube divulga algo do gênero, as chances de isso ganhar repercussão na imprensa tradicional são grandes (por exemplo, o vídeo de Rogério Ceni anunciando seu afastamento devido à cirurgia). Aos poucos, os clubes começam a trabalhar em suas próprias emissoras de TV (como a TV Corinthians), o que automaticamente demandará intensa produção de conteúdo. O site, além de levar essas matérias ao público, também se transforma em um grande arquivo digital.

O desafio é mesmo pensar em conteúdo diferenciado. Informações comuns são encontradas em outros lugares e com abordagem muito mais interessante, diga-se.

Internacionalizar, pesquisar e promover

Por incrível que pareça, muitos sites não tem sequer versões em inglês e espanhol. Perdemos a chance de trazer novos visitantes de todo o mundo – incluindo nossos vizinhos, um pouco mais familiarizados, por causa dos confrontos nas competições sul-americanas. Não seria necessário fazer uma tradução completa, mas itens básicos como história do clube poderiam auxiliar na pesquisa de futebolistas e jornalistas ao redor do mundo. É óbvio, mas na prática não é realizado. Destaque para o site do Palmeiras que tem versões em inglês, espanhol e até italiano.

Os clubes também falham em um dos aspectos que tornariam seus sites mais úteis: a disponibilidade de fichas técnicas. Sim, requer um trabalho de pesquisa gigantesco. Mas quanto mais fichas técnicas, mais vezes o site é consultado e a credibilidade aumenta. O clube deveria ser o primeiro interessado em reunir dados de sua história e o maior número possível de registros. Entretanto, deixam isso para os historiadores e jornalistas publicarem em livros, quando poderiam ser contactados para eventuais parcerias.

E os patrocinadores? Boa pergunta. Na grande maioria das páginas, uma inserção de logotipo em meio à outros. Sites para promoções específicas? Ações online conjuntas? Nada disso. Sobram links e falta criatividade.

Percepções

Há muitas oportunidades para desenvolvimento, mas podemos dizer que os sites melhoraram muito de uns anos pra cá. Apesar de erros básicos como o de alguns que disponibilizam apenas a página em português, a estética tornou-se convidativa e a tendência, mesmo timidamente, aponta para a produção de conteúdo próprio.

Ainda assim, falta ousadia editorial e de marketing. Talvez os clubes estejam esperando o primeiro passo dos patrocinadores.

E você, acessa o site do seu time?

Gafe

O Bayern de Munique bem que tentou, mas não agradou a torcida em uma recente ação na internet. Na página oficial do clube, o torcedor recebeu a informação de que uma grande contratação seria anunciada em algumas horas. Passado o tempo previsto, eis que o reforço era – veja só – o próprio internauta, com seu nome e foto acompanhados da mensagem: “caros torcedores, vocês provavelmente já notaram que nós não contratamos um novo jogador. Esse aplicativo é para mostrar aos nossos torcedores sua importância para o clube”.

A ação terminou e começaram os protestos e reclamações na página. Depois, o Bayern postou uma mensagem de desculpas.

Siga também no Twitter: https://twitter.com/juniorlourenco

Advertisements

About Junior Lourenço
25 anos, jornalista e publicitário. Editor do blog É Pênalti e do 30jardas – a comunidade do polo brasileiro (http://www.30jardas.com.br). Colunista de Marketing Esportivo do site Trivela.com- (http://trivela.uol.com.br/especial/marketing/) Siga também no twitter – http://www.twitter.com/juniorlourenco

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s