A final antecipada que não podemos antecipar. Não?

Não importa quantos Mazembes apareçam no caminho. Nós talvez, nunca aprenderemos a lição de que não existem jogos ganhos antes da hora. É inevitável. Afinal, dá para não imaginar um confronto entre Santos e Barcelona ao ver o clube da Vila Belmiro levantando a taça mais importante das Américas?

Como os exerícios de previsões furadas são livres, o Blog É Pênalti se dá ao direito de fazer o mesmo, porém tentando escapar do tradicional “jogador a jogador”, até por conta das tradicionais (muitas) mudanças efetuadas pelas equipes brasileiras todo semestre.

Imaginemos então como cada clube pode chegar em Dezembro e então o leitor pode tirar suas conclusões antecipadas, anotar em um papelzinho (ok, pode ser no computador) e conferir após o Mundial de Clubes. Começamos com o Santos.

Como acontece com os vencedores de Copa do Brasil e de Libertadores, o Peixe pode entrar na síndrome do “não-tô-nem-aí-para-o-Brasileirão”. Se assim for, ficará difícil saber qual a real força do time principal. Outro fator chave é a manutenção de Neymar e Ganso. Alguns entre os milhões de boatos vão ganhando corpo e a saída dos dois parece questão de tempo. Entretanto, esse tempo deve ser suficiente para que ambos joguem o Mundial.

O Barcelona, bem, é o Barcelona. Como resumiu Alex Ferguson após a derrota de seus comandados do Manchester United na final da Liga dos Campeões, todos sabem como eles jogam, mas ninguém consegue pará-los. Símbolo de futebol bem jogado, o Barcelona domina seus adversários através do simples fundamento de tocar a bola. Simples? Pergunte aos marcadores de Xavi e Iniesta.

O diferencial está em Messi, que gradativamente registra seu nome entre os maiores jogadores da história. Pesadelo desde já para Durval e Edu Dracena, ou seja lá quem for o incumbido de marcá-lo.

Podemos então imaginar dribles de Neymar, arrancadas de Messi, lançamentos de Ganso, tabelas entre Xavi e Iniesta.

Podemos. Mas que os candidatos à Mazembe de 2011 não leiam esse post.

Continue a conversa no twitter: @juniorlourenco

Advertisements

As reclamações de Neymar

A cena não é nova. Quando Neymar termina uma partida em que atuou abaixo das expectativas, invariavelmente a declaração é a mesma: não me deixam jogar.

O objetivo do post não é trazer à tona qual lance foi ou não falta, e nem – por motivos técnicos óbvios – passar repetições exaustivas das possíveis infrações no atacante.

Apesar de muito jovem, Neymar deve estar acostumado a jogos de grande pressão. Já passou por toda a campanha da Libertadores, já viveu decisão de Copa do Brasil e é nome certo nas recentes convocações da seleção.

Deveria portanto saber, que marcador nenhum irá estender um tapete vermelho para que o menino passe com seus dribles. E antes que muitos acusem a catimba – palavra usada para suprir a falta de informação sobre um time e tratá-lo genericamente – dos adversários sul-americanos, vale lembrar que Neymar costuma disparar essas declarações também em território nacional.

Reclamar em demasia não condiz com a capacidade do jogador em questão. Neymar é craque, e terá a oportunidade de ganhar sua primeira Libertadores antes dos vinte anos, o que é muita coisa.

Mas terá que jogar.

Siga também no twitter: @juniorlourenco

Marketing esportivo – Champions Festival

Confira a minha terceira coluna sobre Marketing Esportivo no Trivela.com!

Para ler, clique em: http://trivela.uol.com.br/Conteudo.aspx?secao=222&id=23205

Twitter: @juniorlourenco

Volta de férias

O Blog É Pênalti está de volta das férias, e pede desculpas pela ausência.

Junior Lourenço